Dança Destaques Video

Fala, mestre!

Fernanda Guerreiro é um ícone da dança do ventre da Bahia e do Brasil. A dançarina e professora de dança oriental vai celebrar como empresária, em 2021, os 18 anos do seu Studio Dance Baladi

O sobrenome já diz um pouco de quem se trata. Fernanda Guerreiro luta pela dança desde que era uma menina de 7 anos e começou a aprender jazz, agregando, aos 11 anos, estudos das danças moderna e contemporânea. Com 17, já sabia qual profissão seguiria e ingressou na Escola de Dança da Ufba. Formou-se em licenciatura e bacharelado; tornou-se um ícone da dança oriental; e se lançou como empresária. Em 2021, ela vai celebrar 18 anos do Studio Dance Baladi – que fundou ao lado do marido, o dançarino e professor André Uzeda. Ela vibra e diz que a sua casa “completará a maior idade e uma história de muitas realizações”. Veja a entrevista completa! (Claudia Pedreira)

Claudia Pedreira – Como se interessou pela dança?
Fernanda Guerreiro –
Comecei a dançar aos 7 anos de idade com o jazz. A dança sempre me chamou atenção e mexia com meu coração. Aos 11, comecei na Dança Moderna e Contemporânea, que foram uma grande paixão. A dança sempre fez parte da minha vida, desde a infância.

CP – Lembra como definiu que seria um profissional da área?
FG –
Durante a infância e a adolescência eu já me apresentava em espetáculos e shows e o meu amor pela dança era tão intenso, que decidi seguir carreira. Aos 17 anos ingressei na graduação em dança na Universidade Federal da Bahia. Em 2000 conclui duas graduações: Licenciatura em Dança e Dançarina Profissional.

CP – Na sua visão, o que é necessário para ensinar alunos que buscam o condicionamento físico?
FG –
A dança é muito além de condicionamento físico. A grande maioria das pessoas percebem isso logo no início. É aquele momento de bem estar físico e mental, que faz a diferença na vida das pessoas. Para o ensino é necessário muito estudo. Além da técnica da dança outros conteúdo são importantes para quem leciona: metodologia e didática de ensino, anatomia e cinesiologia, dentre outros.

CP – O que o aluno precisa para aprender?
FG –
Disposição, dedicação e vontade de aprender. Todas as pessoas tem capacidade de aprender a dançar. O querer tem que estar na mesma medida da dedicação. Cada pessoa tem suas habilidades e capacidades, assim como limitações. O respeito às individualidades é importante para quem ensina e também para quem aprende.

CP – Destaque ações realizadas como mestre que te trazem emoção e/ou a certeza de ter escolhido a profissão certa
FG – São muitas!!! Uma em especial é ver um(a) aluno(a) descobrindo o quanto é capaz. Ver os olhos brilhando quando conseguem executar determinado movimento, quando se apresentam em público ou simplesmente quando dizem: “pró, eu consegui!!!”. Isso não tem preço.

CP – O que aprendeu com a fase de isolamento social e como reflete esta evolução em seus projetos?
FG – Poderia listar muitas coisas aqui, porque este período foi de grandes aprendizados. Aprendi a pausar quando necessário, pois durante este período todos passaram por momentos de desânimo, e faz parte. Aprendi também muito sobre o mundo digital. Tivemos que nos adaptar rapidamente ao método de aulas online e isso, com certeza, me abriu muitas portas em conhecimento e também em projetos especiais.

CP – Como os alunos podem fazer aulas com você?
FG –
Podem entrar em contato comigo pelo Facebook Fernanda Guerreiro, pelo Instagram @fernandaguerreiroba, pelo e-mail fernanda_guerreiro@yahoo.com.br ou pelo telefone do Dance Baladi (71) 99116-1132.

CP – Comente sobre a concepção de projetos de aula que realiza. Quando e como foi criado, trajetória e fase atual, durante a pandemia, com adaptações. Pelo olhar de professor, destaque a importância da ação.
FG- Tenho uma escola especializada em Dança do Ventre e Dança de Salão há 17 anos. Este ano o Dance Baladi completará a maior idade e uma história de muitas realizações. Eu e André Uzêda, meu marido e sócio, tínhamos o sonho de ter um espaço onde pudéssemos colocar nossas ideias e projetos em prática e foi através da nossa escola que já realizamos mais 500 eventos: de pequenos eventos como aulões, cursos, workshops e bailes à eventos de grande porte como Encontros da Dança, Baladi Congress e o Festival Anual Dance Baladi. Alguns deles com premiação nacional como o Baladi Congress duas vezes premiado pela revista Shimmie como “Melhor Produção de Evento do Brasil” através de voto popular. Durante este período de pandemia adaptamos as nossas aulas para o formato online e com ele vieram muitos desafios. Vencemos cada um deles e a escola continua na ativa. fazendo a diferença na vida de tantas pessoas que fazem parte da história do Dance Baladi.

CP – Quais são os seus planos próximos?
FG – Tenho muitos planos e projetos. Sou movida a metas e a desafios… (rs). O mais recente projeto, que já está em andamento, é o InspirAção. Ele já acontece há um pouco mais de 17 anos, através de eventos beneficentes realizados pelo Dance Baladi. O objetivo deste projeto é ajudar pessoas em vulnerabilidade e instituições e ações sociais que precisam de apoio. Ano passado fiz a primeira versão online deste projeto e o valor arrecadado foi revertido em alimentos para a comunidade de Massaranduba e em itens de enxoval para a Campanha Zezé Enxovais, que doa enxovais de bebê para mães carentes. No dia 16 de maio acontecerá a segunda versão online deste projeto e esperamos ajudar muitas pessoas através desta ação.

Fernanda Guerreiro é professora, bailarina e coreógrafa de Dança Oriental há 24 anos. Idealizadora do Baladi Congress, congresso de Danças Árabes e Danças de Salão da Bahia, e diretora do Studio Dance Baladi. Capa da Revista Shimmie, a maior revista de Dança do Ventre do país, representando o Nordeste e duas vezes premiada como Melhor Produção de Eventos pela organização do Baladi Congress. Ministra aulas e workshops nos maiores eventos de Dança do Brasil.

Fotos: Paulo Baruch (@paulobaruchfotografia)

A coluna “Fala, mestre!” é voltada para quem atua como professor de modalidades relacionadas com a dança; com esportes; com práticas físicas relacionadas ao bem estar e ao entretenimento. A definição de mestre, aqui, não se relaciona, necessariamente, a título acadêmico

3 comentários em “Fala, mestre!

  1. Jandiara Muricy

    A professora Fernanda Guerreiro, além de professora, bailarina coreógrafa …., É uma pessoa de um coração enorme.
    Não fazendo distinção de alunas e sempre que pode ajudando todas e todos na medida do possível com palavras de conforto, incentivo. Ela tem várias qualidades que sou suspeita de falar. Por onde ela passa, nós contagia com sua energia. Uma pessoa iluminada.
    Sou muito grata a Deus por ser aluna dela.
    E cada vez, venho aprendendo a evoluir na dança e como ser humano.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Fernanda, bailarina, professora, mãe, esposa, empresária, dentre outras faces, um ser humano maravilhoso, com.um coração enorme, cheio de amor, dança com a alma, uma fonte de inspiração, tenho o privilégio de ser sua aluna, e aprender tanto com você flor.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Rejane Menezes

    Fernanda Guerreiro é uma professora que sabe extrair e potencializar o melhor d@s aprendizes, em todas as suas interfaces. É uma mulher de conduta e caráter admiráveis!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: