Bem Estar Esportes Notícias Terapia

Sou uma mulher completa!

 

Bem, hoje quero convidá-los a refletir sobre o poder da imposição estética “da perfeição física”, imposta muitas vezes pela mídia, pelos blogs “siliconados”, por “amigas, migas” pelas novelas e afins.

Para tanto, vou usar como mote dessa reflexão um fato ocorrido anos atrás com essa pessoa da foto, @atelieelaineviana, não por acaso, minha companheira de caminhada nessa vida.

Ministro aulas coletivas de ginástica, bike indoor dentre outras, além de trabalhar como personal, e, no decorrer da minha carreira profissional, lidei e ainda lido, com indivíduos de ambos os sexos buscando a tal “perfeição física” em detrimento da saúde. Para tanto são capazes de correr riscos em busca de cirurgias plásticas, aplicação de silicone, Botox, uso de drogas anabolizantes, dentre outros métodos nada ortodoxos, para se tornarem “iguais”, “perfeitas”…. Deixo claro, que não sou contra cirurgias plásticas feitas por motivo de saúde, ou reparação de partes lesionadas por algum acidente.

Aqui vale ressaltar que o cérebro humano compreende a beleza, instintivamente, na percepção de simetria, e depois vem a tentativa de raciocinar por que achou algo belo.

Cada indivíduo tem sua própria percepção do perfeito, do que compreende como simétrico e belo, e buscam no outro essas preferências; e existe quem acabou suas relações após seus (suas) companheiros (companheiras) mudarem suas características físicas. Tenho amigos que se encantam com mulheres gordas, outras ;com as magrinhas, outros admiram os seios pequenos, tantos outros seios grandes. Uns são seduzidos por glúteos largos, tantos outros por glúteos menores, umas loiras, outras negras, todo tipo de raça ou cor, mas todos buscam nessas mulheres uma parceria, uma companheira, e não um “objeto de uso”. Por que digo isso? Porque a maioria das mulheres que questionei o motivo de implantar silicone, de cirurgias plásticas das mais variadas partes do corpo, tive como resposta: seduzir seus atuais companheiros, as casadas; encontrar um companheiro perfeito, me diziam as solteiras para se sentirem desejadas e amadas.

Isso posto, volto agora a história passada anos atrás com minha companheira. Estava ministrando aulas em uma grande academia, onde o poder aquisitivo dos clientes era alto, e, em determinado momento, ouve uma explosão de cirurgias de lipo escultura, e colocação de próteses de silicone gigantes, o que, em muitos casos, destruiu a simetria e a beleza genética de algumas clientes, além de, em alguns casos, comprometer a saúde da coluna vertebral, devido ao peso da prótese, tendo de voltar ao risco da cirurgia para a remoção das mesmas.

Uma grande maioria, após as cirurgias, abdicou dos treinos e da reeducação alimentar, confiantes que sua atual “perfeição física” permaneceria sem a necessidade de cuidados e manutenção das suas antigas praticas saudáveis, o que, vale ressaltar, as deixavam além de belas, iluminadas por terem, além da beleza, saúde!

Nessa época, nenhum dos meus e minhas alunas conhecia minha companheira, e quando me questionavam sobre a mesma, eu sempre respondia: sou casado com a mais bela Pérola Negra que Deus pôs na terra. O que eu não sabia era que essa descrição da minha parceira deixava no imaginário das alunas, que eu era casado com uma mulher tipo “passista de escola de samba”. Ledo engano. Sempre tive preferência por mulheres pequenas, de seios pequeninos, e, o mais importante: de caráter forte, que se amasse exatamente pelo que é, sem se vender a imposição de ser igual às criaturas geradas nos programas e aplicativos de correção de imagem.

Nessa mesma época, fui surpreendido por seguidas solicitações de minha companheira, no sentido de colocação de prótese mamária, de retirada das varizes, de preenchimento das celulites. Sempre respondia com argumentos dos riscos dessas intervenções, estimulando que ela fosse em busca de treinar em academia, para a melhora desses itens, pois a mesma era bem sedentária.  Não consegui meu intento naquela época, e, diante da insistência da mesma em se “modificar” para ficar “mais bela” para manter meu “fogo”, acabei sendo obrigado a usar da minha sinceridade ferrenha.

Deixei claro que amei e desejei exatamente aquela forma física que ela tem, e que só tinha percebido as varizes e celulites das quais ela queria se livrar porque ela mesma tinha chamado minha atenção para esses detalhes (nunca tinha percebido) e que a mudança dessas características implicariam num possível “esfriamento do meu fogo” por ela.

Após essa conversa, ela não voltou a falar sobre essas intervenções, mas eu permanecia inseguro sobre a possibilidade dela simplesmente se submeter a uma dessas cirurgias.

Nessa mesma época, fui convidado a participar de uma festa de aniversário de uma aluna, e resolvi levar minha companheira (não misturo trabalho com família), pela primeira vez a um evento que envolvesse relações geradas por meu trabalho, e qual não foi minha surpresa ao observar o “susto” que as convidadas demonstraram ao perceber que ela não estava no “padrão passista de escola de samba” que, no imaginário delas, seria minha predileção.

Resolvi deixar que ela lidasse com a situação de estar entre tantas mulheres “perfeitas” sozinha, por compreender que ela teria que vencer essa imposição social e midiática de uma vez por todas. Me afastei sutilmente da roda feminina gerada pela presença dela e, alguns minutos após minha saída, fui abordado por uma aluna, amiga, que se aceitava orgulhosamente de sua forma cheinha e sensual, com o seguinte relato:

“Professor, sua mulher é única, poderosa um exemplo a ser seguido. Perguntei o por que desse comentário, ao que fui informado que algumas das “perfeitas” que já tinham consumido um tanto a mais de vodca, não tiverem educação, e a questionaram sobre o que ela tinha de tão especial, sendo tão “fora do padrão fitness” pra conquistar e manter alguém como eu, que vivo no mundo fitness tão apaixonado e feliz. E sem nenhum constrangimento, elas ouviram como resposta de Elaine, que o motivo de tanto amor e fidelidade era pelo fato dela ser:

“UMA MULHER COMPLETA!

Possuo varizes, celulites e estrias, e, o mais importante: possuo CARÁTER, e sou amada exatamente por isso!”

Essa resposta se tornou referência no meio feminino daquela academia, e em muito pouco tempo as cirurgias foram deixando de serem tão realizadas, ali, sendo que a busca da saúde e do bem estar se tornou a tônica daquele ambiente.

Quer ser amada? SE AME!

Quer ser desejada? SEJA ÚNICA!

Quer ser feliz? SE ACEITE COMO É e se lembre, ele ou ela se aproximaram ou vão se aproximar de você exatamente como você é. Treine e se cuide por saúde, e garanto: A BELEZA VIRÁ A REBOQUE!

ÍconetextoCâmera @daltonvinhaes

2 comentários em “Sou uma mulher completa!

  1. Andrea Calmon

    Excelente texto,Vinhaes! Malhação pra ter saúde, a melhora na estética deve ser só consequência.

    Curtir

  2. Elaine Araújo

    Sim. Eu sou uma mulher completa, as marcas que compõe o meu corpo, como minhas varizes, minhas estrias e minhas celulites, não me fazem melhor ou pior que as outras mulheres. As minhas marcas me fazem um ser real de carne e osso, sem plásticos ou plásticas modificando aquilo que é a natureza em sua perfeição me deu ao longo dos anos.
    Eu sou uma mulher completa.
    Eu sou a mulher da foto.
    Elaine

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: